O #VoteLGBT é um projeto de ações que abordam direitos da população LGBT em toda sua complexidade, de forma interseccional, plural e diversa. Os trabalhos são propostos como dispositivos artísticos, pedagógicos e políticos concebidos como possibilidades de diálogo e estão relacionados com uma percepção expandida do campo da arte. Objetivamos, assim, disputar as narrativas de representação e intervir diretamente na esfera social.

O coletivo tem atuado especialmente no debate das representatividades políticas de corpos historicamente minorizados e parte de uma concepção de política como um espaço simbólico de disputa. A atuação neste campo tem como foco ações diretas no tecido social e uma real negociação das representações de corpos e subjetividades diversas. O #VoteLGBT tem elaborado uma ampla gama de ações como pesquisas de perfil político de pessoas LGBT, incidências legislativas, promoção de visibilidade a candidaturas LGBT e pró-LGBT e campanhas de sensibilização.

votelgbt.org

facebook.com/votelgbt

 

2018

Performance para TV, 2018

 

Rede Globo, 9min, Cor

Matéria “Além do voto” do programa Como Será? exibida em 21/07/2018 abordando histórico do #VoteLGBT, a incidência junto ao TSE, a pesquisa na Parada e a articulação dentro do #MeRepresenta. O programa também acompanhou uma mulher trans na hora de alterar seu título de eleitora.                                                                                                    

 

 

Sobre Prioridades, 2018

 

Escolha as 3 as causas mais importantes para a luta LGBT hoje:

 

1230 entrevistas presenciais em SP e 6001 entrevistas online

Pesquisa realizada por 40 entrevistadores na Parada do Orgulho LGBTI+ de São Paulo e na Caminhada de Mulheres Lésbicas e Bisexuais nos dias 02 e 03/06/2018. Pedimos que cada entrevistado dissesse quais eram as 3 pautas mais importantes para a luta LGBT de hoje.

 

Incidência sobre Tribunal Superior Eleitoral,2018

 Brasília, DF

Brasília, DF

Elaboração e articulação de consulta pública junto ao Tribunal Superior Eleitoral pedindo respeito às identidades trans para pleno exercício do direito político de votar e se candidatar. Após o sucesso da consulta, eleitoras, eleitores e candidates podem, pela primeira vez, ter no título de eleitor o seu nome social. Mulheres trans também passam a compor a cota de 30% de mulheres nas candidaturas inscritas pelos partidos. 

Aliadas: Senadora Fátima Bezerra-RN, Ademar Costa Filho, Professora Luiza Coppieters, Paulo Iotti & Gadvs.

 

Direito à participação política,2018

 1 de 6256.

1 de 6256.

Durante os 36 dias que durou a janela permitida pelo calendário eleitoral desse ano, 6256 pessoas trans puderam alterar um documento oficial e usar o nome e/ou gênero que se identificavam no título de eleitor. Foram cerca de 174 títulos emitidos por dia entre 3 de abril e 9 de maio de 2018.

 

Bicha e Sapatão,

2018

07 2018 pesquisa 3.png

Provocados por resultados intrigantes das últimas pesquisas, resolvemos investigar uma reapropriação identitária dos termos “Bicha”e “Sapatão” na população LGBT das manifestações do Orgulho. Descobrimos também uma identidade pan e bissexual importante entre jovens até 34 anos, sobretudo nas mulheres.

 

2017